O fim da terra

Nós sempre gostamos de pensar que não estamos sozinhos. Imaginamos que, quando precisarmos de ajuda poderemos contar com o apoio de familiares, amigos e profissionais que nos socorrerão em nossas necessidades físicas, mentais e espirituais. Ao mesmo tempo em que a vida em sociedade nos apresenta muitas dificuldades, ela deveria nos conduzir a soluções que se apresentam através do afeto e do apoio que recebemos nos piores momentos que tivermos que enfrentar. Infelizmente esta não é a realidade. Existem momentos em que ouvimos das pessoas o que jamais desejaríamos: Desculpe, mas, não posso fazer nada por você.

Infelizmente, você terá que resolver este problema sozinho! Tudo que eu podia ter feito por você, eu fiz, agora você terá que enfrentar esta situação com seus próprios recursos! Ainda que, no momento, você não saiba como resolver esta situação, eu tenho certeza que, com calma e conversando com seus amigos, você achará a resposta para este problema! Muitas expressões como estas servem para nos avisar que, de alguma maneira, nós estamos sozinhos e teremos que enfrentar uma crise sem contar com a ajuda dos outros. Nós esperávamos contar com elas. Precisávamos ouvir notícias melhores do que aquelas que acabamos de receber, mas, infelizmente, não foi o que aconteceu. Ficamos sós no momento em que mais precisávamos de ajuda. Quando passamos por uma situação como esta, temos grande dificuldade de aceitar a falta de apoio que esperávamos que as pessoas nos dessem. Por outro lado, existem circunstâncias em que as pessoas realmente não podem nos ajudar. Elas não possuem recursos para nos apoiar. Nós precisamos de uma ajuda que elas não têm como nos oferecer. Necessitamos de conhecimentos que elas não possuem. Esperamos que a medicina nos cure, mas, ela é incapaz de curar todas as enfermidades. Necessitamos que nosso coração consiga superar as tragédias que caíram sobre nós, como tempestades sobre serenas plantações. Quando vivemos estas situações queremos superá-las.Desejamos sair do abismo em que caímos e superar as barreiras que são maiores do que as nossas forças. Mas, não há recursos para que possamos vencer porque chegamos no fim da terra em que podíamos caminhar. É como se estivéssemos tentando passar de um lugar para o outro, e acreditássemos de todo o nosso coração que a travessia seria encontrada a dezenas de metros a frente. Contudo, quando chegamos ao lugar em que esperávamos visualizar, descobrimos que a terra acabou e surgiu um grande abismo seguido de um mar revolto por onde
não podemos caminhar. O que fazer quando chegamos ao fim da terra? Para onde ir? O salmista nos diz que o verdadeiro refúgio é Deus. Não existe uma fortaleza que consiga nos manter afastados de todos os inimigos. Deus é esta fortaleza. Ele é o único socorro que jamais nos decepciona. Não conseguimos fazer a transposição da tragédia para uma vida nova. Ele é o caminho. Ele é a cura para uma enfermidade incurável. Ele é a vida além de toda a vida que nós conhecemos. Quando você compreender que chegou ao fim da terra
e que não consegue sair de um abismo e se colocar num lugar alto, você passou a entender o que é a vida humana - uma necessidade de transposição que precisa do amor de Deus para ser alçado do abismo de nossos problemas insolúveis para a graça de Deus que sorri para a impossibilidade humana com sua misericórdia sem fim.

Eli Moreira

Continuar lendoVoltar para a home